Os alimentos que parecem saudáveis – mas não são

Os alimentos que parecem saudáveis – mas não são

OUÇA O POST EM PODCAST

Vários alimentos que consumimos parecem saudáveis, mas na verdade sabotam sua dieta (ou sua saúde).

Certos alimentos saudáveis não são tão saudáveis quanto parecem. Claro que você sabe que salgadinhos, comidas prontas e doces são porcarias, pobres em nutrientes. Mas nem todos os alimentos que acabam com sua dieta – ou sua saúde – são os industrializados. Muitos estão bem camuflados como comida saudável. Entretanto, estão cheios de calorias, sódio, açúcares ou gorduras.

O Único vai ajudá-lo a desmascarar os facínoras. Confira alguns alimentos que são falsamente saudáveis ou comprometem sua contagem de calorias, caso você faça dieta. Veja abaixo os perigos escondidos até numa inocente barrinha de cereais.

Barrinha de cereal

As barras de cereal são alternativas práticas para fazer um lanche entre refeições ou depois do exercício. As barrinhas saudáveis têm fibras de cereais como aveia e flocos de arroz, que ajudam o funcionamento do intestino, frutas como uva passa e damasco e oleaginosas como amêndoas, castanhas, nozes e sementes de girassol ou abóbora, ricas em nutrientes. Mas algumas marcas têm alto teor de açúcar ou de xarope de milho, que elevam o índice glicêmico e comprometem os resultados tanto de quem ganhar músculos quanto de quem busca emagrecer. Mesmo as diet, que não levam açúcar, podem ter altos teores de gorduras, acrescentadas para realçar o sabor e dar melhor textura à barrinha.

Outras marcas só aparentemente contêm frutas ou levam chocolate de baixa qualidade. Nem é preciso lembrar que barras com “sabores” como torta de limão ou musse de chocolate são porcarias que não trazem nenhum benefício à saúde. Para finalizar, muitas barrinhas levam aromatizantes, corantes, estabilizantes e conservantes, como todo produto industrializado.

A única forma de saber se a barrinha é nutritiva é ler o rótulo, para saber se é orgânica e checar a tabela nutricional e a lista de ingredientes.

Shoyu

Você costuma sentir sede depois de comer sushi ou sashimi? Normal. O molho de soja, ingrediente básico das culinárias japonesa e chinesa, é rico em sódio, um dos componentes do sal. Quando consumido em excesso, o sódio causa retenção de líquido, que leva ao aumento de peso e agrava a hipertensão. Uma simples colher de sopa de shoyu contém 346 mg de sódio, o equivalente a 16% da quantidade máxima diária recomendada.

Troque sempre o shoyu comum pelo light, que tem o mesmo sabor e consistência mas é menos salgado por conter menos da metade da quantidade de sódio, em média.

A atenção ao shoyu deve se estender a outros alimentos cheios de sódio: temperos e molhos de salada industrializados, congelados ( hambúrgueres, lasanhas, frango empanado etc), vidrarias (azeitona e palmito), enlatados, frios e embutidos, como presunto e salame.

Suco de fruta em caixinha

Os sucos em caixinhas podem enganar por ter pouca quantidade das frutas, conter mais açúcar do que um refrigerante (tornando-se altamente calóricos) ou, no caso das versões light, serem adoçados com ciclamato e sacarina, duas substâncias também ricas em sódio (que não aparece somente em alimentos salgados). Como dito acima, o sódio pode provocar retenção de líquido, aumento do peso e da pressão sanguínea. Os sucos industrializados também contêm acidulantes, estabilizantes e edulcorantes artificiais.

Preste atenção se a caixinha diz que a bebida é um “néctar”: essa é a denominação permitida por lei aos sucos mais diluídos que os integrais, que às vezes podem conter 50% de água, o que obviamente deixa o produto mais barato. Para que possa ter nome de suco, a bebida precisa ser composta quase que exclusivamente de fruta, ainda que possa conter alguma porcentagem de água.

Prefira sempre sucos naturais, que você mesmo pode adoçar, ou preste atenção à tabela de ingredientes na caixa do suco industrializado, para checar os ingredientes.

Queijos

São os falsos mocinhos para quem está de dieta. Por conterem muita gordura do leite, são bastante calóricos e aumentam o colesterol ruim. No geral, vale a regra: quanto mais amarelo, mais gorduroso. Uma fatia de 30 gramas de cheddar tem 9 gramas de gordura e cerca de 110 calorias. Uma fatia de brie tem 100 calorias. Uma fatia de mussarela tem cerca de 80 calorias. 

Para quem não está querendo perder peso, o problema é mais a quantidade de gordura do que o teor calórico. Na dúvida em relação ao teor de gordura, prefira o queijo branco ou cottage. A branquinha mussarela de búfala não é tão inocente: cada 30 gramas têm cerca de 100 calorias e 30 gramas de gordura.

Os derivados de leite são os grandes vilões da intolerância, por conter lactose, que provoca desconforto intestinal, cólicas, diarreia e gases em quem não consegue digerir bem esse açúcar.

Chocolate

Só o chocolate amargo ou meio amargo, com alto teor de cacau, faz bem à saúde. O chocolate ao leite não apenas tem pouco cacau como contém gordura saturada e açúcar. Só o chocolate amargo contém flavonoides (substâncias que protegem o coração) e conserva vitaminas e minerais presentes na semente do cacau. Chocolate ao leite é apenas um doce como qualquer outro.

Os flavonoides do chocolate com entre 40% e 70% de cacau têm ação antioxidante, que combate danos nas células do corpo, e também anti-inflamatória, que previne a formação de placas de gordura nas artérias e diminui o risco de doenças cardíacas. Esses flavonoides também reduzem o mau colesterol (LDL) e aumentam o bom colesterol (HDL).

Os chocolates mais baratos têm grandes quantidades de gordura saturada, que se acumula nas paredes de vasos e artérias. Os mais perigosos são o chocolate ao leite e o branco. Apenas 25 gramas de chocolate ao leite pode apresentar 5 gramas de gordura saturada, o equivalente a 21% do consumo máximo diário recomendado. Já o branco nem leva chocolate, só manteiga de cacau (a gordura obtida das sementes). Alguns brancos nem sequer são feitos com manteiga de cacau e, sim, com óleos vegetais hidrogenados, os piores que existem. Não ajudam em nada ao coração; ao contrário, podem colaborar para o aparecimento de doenças circulatórias. Chocolate branco deve ser consumido com muita moderação.

Azeite de oliva

Verdade que o azeite de oliva é muito saudável, porque sua gordura ajuda a manter baixos os níveis do colesterol ruim e a prevenir doenças cardiovasculares. Seu delito é sabotar as dietas de perda de peso. Porque ele é altamente calórico: duas colheres de sopa, por exemplo, têm 240 calorias. Ou seja, uma salada de folhas regada com muito azeite se transforma em uma bomba calórica. O suficiente para qualquer contagem diária de calorias ir pro brejo.

Use com moderação nos temperos caso esteja de dieta e precise cortar calorias.

Arroz branco

Arroz branco parece ser o alimento mais inofensivo do mundo, mas tem alto índice glicêmico. O que é isso? O índice revela a quantidade de glicose que um alimento (principalmente os carboidratos) libera no sangue e como essa substância é absorvida pelo organismo. Um alimento de alto índice glicêmico é absorvido rapidamente pelo organismo, provocando a elevação rápida (picos) de insulina que levam ao aumento de peso. Não é só questão de estética: sobem também os níveis de triglicérides e de outras gorduras em circulação.

Troque o arroz branco pelo integral, que tem índice glicêmico mais baixo e contém mais fibras, que são absorvidas mais lentamente. O mesmo vale para massas e pães feitos de farinha branca, também com alto índice glicêmico. Troque pelos integrais.

Investigue os rótulos

A melhor forma de se informar sobre o conteúdo de um alimento é ler o rótulo da embalagem. Ela é obrigada por lei a trazer todas as informações nutricionais e a lista dos ingredientes. Veja como avaliar:

  • A tabela deve informar o valor energético (calorias) e a quantidade dos seguintes nutrientes: carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, fibras e sódio.
  • O símbolo de porcentagem (%) indica quanto por cento do valor diário – numa dieta de 2500 calorias – o consumo daquele alimento representa. Por exemplo, se o sódio aparece como 25% no rótulo é sinal de que ao consumir aquele produto você está comendo um quarto de todo o sal indicado para um dia inteiro.
  • Além da tabela há a lista de ingredientes. Quanto mais parecida for com uma receita caseira, mais saudável. Se entrarem muitos nomes estranhos como acidulante (para intensificar o gosto ácido), emulsificante (substância que ajuda na mistura dos ingredientes) é sinal de que o produto tem aditivos químicos demais.
  • Na lista de ingredientes, eles aparecem em ordem crescente. Ou seja, se o primeiro for açúcar é porque ele é o principal componente daquele produto.

Foto: Deposit Photos

https://www.instagram.com/homemunico/

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia também
Transtorno obsessivo-compulsivo - TOC - Único
TOC: quando uma mania vira transtorno obsessivo